Chilhood

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 19:37




Disseram-me que estava escuro! Escuro!! Ouviram, escuro?? Comecei logo a tremer. Um tremer estranho, rodeava-me as pernas, os braços, a barriga. Era muito estranho. Era tão pequeno, e, já sabia que o medo era aterrador. Embora fosse um rapaz, ele tocava-me como cobras alucinadas. Dizem que os meninos não sentem medo como ocorre com as meninas. Acreditem, eu corro tão louco como se fosse uma menina. O medo é igual para todos, mas cada um agarro-o como pode e, eu, eu... ai ai eu, eu corro como um louco e depois brado como se quisesse destapar a garrafa da maldita tampa.
Nasci de pedra, mas meu pai que era um escultor terrível, ousou para destemperança de alguns que me desejavam, esconder-me num armário. Trancava-me a porta com a chave e com vários cadeados. Ele tinha mais medo do que eu. Tinha medo da minha pureza. Dessa singeleza com que são feitas algumas coisas e seres.O incomodo que isso provoca, é para certas gentes muito difícil de se ter por perto. Duas situações ocorrem,''ou se possui, ou se amarra negando o direito à vida'', e ele, amarrava-me dentro daquele caixote feito armário numa escuridão que até parecia que os meus ouvidos tinham se transformado em algo anormal. Ouvia a escuridão e ao longe, ''miles away'' os lobos, os mochos...
Ah, não sou Jean-Baptiste Grenouille. Não sou!! Definitivamente. Definitivamente não sou!!! Mas sou qualquer coisa entre O Perfume e O Coleccionador de Sons.

NãoSouEuéaOutra in '' a questão de um Medo''





Miles Away

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 18:34


Foi esta percepção à tangente de um à beira de nervos, que soube que as cadeiras são apenas artefactos inanimados e contudo, quem as fez tinha a alma sequiosa de um bom rabo sobre elas. Estas, são paradigmas por decifrar. Empilharam-se e ali ficaram na esperança de um conto romanesco que há-de fluir no crepúsculo das cidades. As cadeiras urbanas não tem histórias pessoais, são um aglomerado de memórias em massa. São terrivelmente infiéis. Deixam-se entregar à lascívia de um império de sentidos monásticos. Desculpem, sentidos monárquicos. Esta elevação do sentir, embora mergulhado na lascívia, provoca orgasmos do tipo deambulante nestas cadeiras. Elas ficam mergulhadas num êxtase quase perturbante. Por alguma razão, ninguém consegue fugir delas.
Sejam velhas, sejam novas, sejam magras, sejam gordas, sejam de madeira, sejam de ferro são desejadas. Elas oferecem essa incomparável lucidez chamada de descanso. Nós agradecemos o assento, elas agradecem o nosso rabo!!

''Miles away'', elas sabem de tudo!! Tudo nelas é mais velho que o humano.

NãoSouEuéaOutra in '' saber da cadeira ''



Cinéma

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 08:25

Fotografia - Rattus - Olhares

'nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos e morremos sozinhos. somente através do amor e das amizades é que podemos criar a ilusão, durante um momento, de que não estamos sozinhos.'
orson welles

Just a Kiss, Baby

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in | Posted on 20:07

Fotografias de Mariah

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in | Posted on 19:33


passeamos a solidão


os dias vão-se. eu não.

Fotografias de João Pessoa

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in | Posted on 19:26



Interior do Quartel da GNR no Convento do Carmo, Lisboa



Same Time Every Year!

Vertigem

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 20:06


VERTIGEM

A hora está marcada
– ou perto!
Um aviso de morte restringe os dedos
– quase meus.

Ao primeiro penhor de vida
protejo a sentinela da tarde,
gozo ante a derradeira vertigem:
parida partida,
a ida-vinda
sem quilha!

Ai! Meu corpo,
qual bago murcho de açafrão,
há de explodir a ilúcida fresta
das estonteantes injustiças:

Mundos de ogivas
com seus desumanos poemas
estapearão os olhos da pedra desvirginada
e um gozoso tapume
de meia jarda
rebentará o luar de saliva,
o centeio
de quase véspera,
o olhar.

© Benny Franklin
20/11/2009

Old man

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 19:44


"Eu me contradigo?
Pois muito bem, eu me contradigo,
Sou amplo, contenho multidões".

WALT WHITMAN

James Dean

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 18:43


(...) james dean - o eterno rebelde, marco cultural... viveu em cheio e breve... será, também, o sempre e eterno jovem, que nunca a velhice o saboreou e nem ele a ela!!! (...)

The RockMan

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , | Posted on 18:38


VERSOS DE POESIA MINHA


Roubam-se gentes.
Cristais refletem-se no asfalto
e conjugam verbos de poesia minha
— a tropa
e os armamentos perfilam-se
no retropasso.

Regurgito
estampidos de revolveres,
bebo
o vago da aurora
e o condomínio do medo
fode a lonjura como se cresse,
ou mesmo manufaturasse velcro
de partida
levedado por sepulturas
de igrejas.

(Os homens
ainda continuam de fraudas
e alcançam o parapeito
da fome ao primeiro rejeito
da mama que corta a língua
à frente dos asteróides de fuligens pálidas,
à frente do pingo ácido
na relva,
à frente do salteador
que é rápido
à frente da polícia)

Tal como um herói
que não se trai
na antes-morte,
cruzo
aéreo
os arranha-céus de São Paulo:
é cinza-primavera
o lodo que os cobrem,
ou mesmo cru-inverno
os sorrisos sem graça
e deparo
a poesia perfurada à bala
de beiços tremidos
sobre os bueiros.

© Benny Franklin

(source/fonte)

Lolita

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , | Posted on 18:15



“O mundo andava danado, e Lolita apenas queria voar. Voar através das asas que as folhas têm e apenas, apenas ser feliz por um minuto. Difícil esse desejo, o mundo apenas gosta de mastigar Lolitas e, ainda grita: «Quantos quilos tens, minha beleza fluvial !!!???». As Lolitas nunca respondem e, daí, emigram para Honolulu em primeira classe. Vão sorridentes e, o uso excessivo de pasta dentes tornou o sorriso numa caixa de diamantes, e que em ‘Hono’ tornar-se-á o passaporte definitivo de um novo mundo.
Anos de dança ‘magnética cintural’ irão transformar estas Lolitas em excelsas dançarinas de Hula Hula e, o mundo danado, apenas será uma imagem perdida no tempo destas meninas que apenas queriam voar numa folha!!!...”

NãoSouEuéaOutra in ''Lolitas Sonhadoras''

Movimentos

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in | Posted on 17:55

'' a boneca que queria ser humana ''

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 17:50



- ah filha, só tens os braços... as pernas estão juntas como dois paus em cima de um monte de ossadas de lama seca, sequíssima... não estás sozinha, não... não estás; estás junto a outras ossadas. és uma flor, e as outras, as outras... são fantasmas barulhentos... e tu, ah tu, és impossível de ser copiada. és apenas inspiração!!
amanhã, irei coser as tuas pernas com fio de lama, encher-te o peito de oxigénio e obrigar-te a respirar. a primeira coisa que vou exigir, é que me olhes nos olhos e digas, '' obrigada!! estou viva!!! '' -

NãoSouEuéaOutra in '' aldrabices das bonecas que não se imitam ''

Estrogénio 5

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 17:36

Sobrecarga de estrogénios e insuficiência de testosterona no homem – um desequilíbrio ignorado



Com o envelhecimento, o nível de testosterona sofre uma queda gradual natural. Em oposição, podem encontrar-se níveis de estrogénios anormalmente elevados no homem a partir da meia-idade. O que acontece é que uma boa parte da já se si baixa produção de testosterona é convertida em estrogénio, criando um padrão hormonal patológico em que os estrogénios predominam sobre a testosterona (1).


Exemplos de manifestações num homem com este desequilíbrio hormonal são o aumento das glandulas mamárias, o aumento da “barriguinha”, uma fadiga anormal, perda de massa muscular e desequilíbrios emocionais. Muitos destes sintomas também se correlacionam com deficiência de testosterona (2).


O excesso de estrogénios está intimamente relacionado com a acumulação de gordura abdominal, muito na dependência de má alimentação e da falta de actividade física. Podemos imaginar a gordura abdominal como uma enorme glândula libertando quantidades importantes de estradiol (um tipo de estrogénio) a partir da conversão bioquímica da testosterona.


Mas será esta tendência para um estado de preponderância de estrogénio versus testosterona prejudicial durante o envelhecimento? Evidências:

1) A taxa de mortalidade por AVC no nosso país é de cerca de 200/100 000 habitantes. É das mais elevadas na EU e condiciona em 50% dos sobreviventes a limitações funcionais (3). Diversos estudos publicados apontam para um aumento de risco cardiovascular associado a níveis anormalmente elevados de estrogénios no homem. Excesso de estrogénios promove a formação de coágulos no sangue (4). Um estudo de 2007 concluiu que homens com níveis elevados de estradiol (um potente estrogénio) apresentavam um risco aumentado de 2,2 vezes de sofrer um AVC quando os valores de estradiol ultrapassavam os 34,1 pg/mL, em comparação com aqueles em que este níveis eram inferiores (5).

2) Outro estudo avaliou a relação entre os níveis de estrogénios e a espessura da parede das artérias do pescoço, uma forma de avaliação (por ecografia) que tem sido usada como marcador de risco aterosclerótico. Os resultados concluiram que o estradiol é um predictor da progressão da espessura da parede destas artérias: quanto maior o nível de estrogénio, maior a espessura da artéria, logo, maior o risco cardiovascular (6).

3) Um estudo realizado em doentes vítimas de enfarte cardíaco, revelou que este grupo de doentes apresentava níveis significativamente elevados de estradiol e, por outro lado, níveis diminuidos de testosterona (7). Outro estudo, com angiografia coronária, observou uma correlação entre aterosclerose nestas artérias do coração e níveis aumentados de estrona (outro potente estrogénio) e baixos níveis de testosterona na presença de elevados níveis de estradiol: “baixos níveis de testosterona total e da razão testoserona/estradiol e altos niveis de estrona em homens com doença das artérias coronárias aparecem em conjunto com síndrome metabólico e podem estar na patogénese da aterosclerose coronária” (8). Este estudo foi corroborado por outro, um ano mais tarde, que sugeriu que o estradiol possa ter um papel no desenvolvimento de placas aterogénicas no homem com doença das coronárias (9). Verificou-se ainda em homens admitidos no hospital por enfartes cardíacos a presença de níveis elevados de estradiol e níveis baixos de testosterona: quando comparado com o grupo controlo, os níveis de estrogénios eram 180% superiores, enquanto os níveis de testosterona eram cerca de 3 vezes menos (10, 11).

4) Também na doença arterial periférica (em que os pacientes sofrem de claudicação com a marcha), existe uma relação entre niveis baixos de testosterona e níveis elevados de estradiol (12). Nesta doença, a estratégia médica habitual centra-se no controlo, muitaz vezes difícil, dos habituais factores de risco cardiovascular e na prescrição de certos fármacos com sucesso limitado. Baseado nestas evidências de desregulação hormonal, a prescrição de alguns desses fármacos poderia eventualmente ser dispensada, se se corrigisse a a deficiência de testosterona e o excesso de estrogénio nestes pacientes.

5) Em homens com artrite reumatóide também foi verificada uma elevação de níveis de estradiol e dehidroepiandrostenediona (13), indo de encontro a estudos que mostram uma elevação de proteína C-reactiva (um marcador de inflamação sistémica e e um factor de risco independente de doença das coronarias) associada a altos níveis de estrogénios (14).

6) Relativamente ao cancro da próstata, a literatura sugere que níveis elevados de estrogénios podem constituir um factor iniciador deste cancro, embora mais tarde possam ter um papel de supressão, temporária, desse mesmo cancro. Estatisticamente, não se encontrou associação entre níveis elevados de estradiol e cancro da prostata (15), mas é possível que isso se deva ao facto de muitos doentes falecerem antes por outras causas. Na verdade, existem dados que sugerem que já durante o 2 e 3º trimetre de gestação, a exposição a níveis elevados de estrogénio geram lesões no ADN que podem provocar lesões na prostata que só se venham a manifestar 80 anos mais tarde (16-19). A este propósito, a nutrição e o estilo de vida causam um enorme impacto na probabilidade de desenvolver cancro da próstata mesmo que o sujeito tenha uma grande predisposição genética. De facto, o consumo de vegetais crucíferos como os brócolos, couves-flor, abóbora, couves de Bruxela, alimentos com soja ricos em isoflavonas, convertem metabolitos perigosos do estrogénio (16-alfa-hidroxiestrona) em alimentos seguros (2-hidroxiestrona) que podem proteger do cancro próstata (20-24). Existem também suplementos com estes constituintes, tais como indole-3-carbinol e sulforafano, e genisteina e daidzeina (25-- 28).

7) Outros estudos suportam a hipótese de um papel dos estrogénios na patogénese da hiperplasia benigna prostática (29).

Os níveis de estradiol no homem em envelhecimento deve situar-se entre 20 a 30 pg/mL. Níveis demasiado baixos triplicam o risco de osteoporose (30), e niveis muito elevados, aumentam o risco de ataque cardíaco e de incidência de AVC. Niveis baixos de estrogenio e testosterona aumentam o risco de fracturas da anca em cerca de 6.5 vezes.

Como se controlam os níveis de estrogénios e testosterona?

- Redução da gordura abdominal através de cuidados alimentares e de exercício físico.

- Nutrientes na dieta inibidores da enzima aromatase (responsável pela conversão da testosterona em estradiol).

- Se o adequado balanço hormonal não for alcançado com estas medidas, pode ser necessário recorrer a medicamentos com testosterona, ou fármacos (em baixa dosagem) inibidores da referida aromatase.


A manutenção do nível adequado de testosterona e da relação testosterona / estrogénios é, pois, um factor de grande importância na prevenção cardio-vascular no homem.

Bibliografia


1. Vermeulen A, et al. Estradiol in eldery men. Aging Male. 2002. Jun;5(2):98-102.
2. Lund BC et al. Testosterone and andropause: the feasibility of testosterone replacement therapy in elderly men. Pharmacotherapy. 1999. Aug: 19(8):951-6
3. http://www.spavc.org (site da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral, consulta de Fevereiro 2009).
4. Colmou A. Estrogens and vascular thrombosis. Soins Gynecol Obstet Pueric Pediatr. 1982 Sep; (16): 39-41
5. Abbot RD et al. Serum estradiol and risck of stroke in elderly men. Neurology. 2007 Feb 20; 68(8): 563-8
6. Tivesten A, et al. Circulating estradiol is an independent predictor of progression of carotid artery intima-media thickness in middle-aged men. J Clin Endocrinol Metab. 2006 Nov;91(11):4433-7.
7. Mohamad MJ et al. Serum levels of sex hormones in men with acute myocardial infarction. Neuro Endocrinol Lett. 2007 Apr; 28(2):182-6
8. Dunajska K, et al. Evaulation of sex hormone levels and some metabolic factors in men with coronary atherosclerosis. Aging Male. 2004. Sep;7(3):197-204.
9. Wranicz JK et al. The relationship between sex hormones and lipid profile in men with coronary artery disease. Int J Cardiol. 2005 May 11;101(1):105-10.
10. Tripathi Y, et al. Serum estradiol and testosterone levels following acute myocardial infarction in men. Indian J Physiol Pharmacol. 1998 Apr;42(2):291-4.
11. Pugh PJ, et al. Bio-available testosterone leves fall acutely foloowwing myocardial infarction in men: association with fibrinolytic factors. Endocr Res. 2002 Aug;28(3): 161-73
12. Tivesten et al. Low serum testosterone and high serum estradiol associate with lower extremity peripheral arterial disease in elderly men. The MrOS Study in Sweden. J Am Coll Cardiol. 2007 Sep 11;50(11):1070-69
13. Tenstrand B et al. Abnormal levels of serum dehydroepiandosteterone, estrone, and estradiol in m,en with rheumatoid arthrititis: high correlation abetween serum estradiol and current degree of inflammation. J Rheumatol. 2003 Nov;30(11);2338-43.
14. Stork S, et al. Endogenous sex hormones and C-reactive protein in healthy post-menopausal women. J Intern Med. 2008 Mar 12.
15. Roddam et al. Endogenou sex hormones and prostate cancer: a collaborative analysis of 18 prospective studies. J Natl Cancer Inst 2008 Feb 6; 100(3):170-83
16.Singh PB, et al. A potential paradox in prostate adenocarcinoma progression: oestrogen as the initiantig driver. Eur J Cancer 2008 May;33(7);928-36.
17. Prins GS. Estrogen imprinting of the developing prostate gland is mediated through stromal estrogen receptors
18. Prins GS et al. Developmental estrogen exposures predispose to prostate carcinogensesis with aging. Reprod Toxicol. 2007 Apr;23(3): 374-82
19. Ho SM et al. Developmental exposure to estradiol and bisphenol A increases susceptibility to prostate carcinogenesis and epigenetically regulates phosphodiesterase type 4 variant 4. Cancer Res. 2006 Jun 1:66 (11): 5624-32
20. Traka M, et al. Broccoli consumption interacts with GSTM1 to perturb oncogenic signaling pathways in the prostate. PLoS ONE. 2008;3(7):32568
21. Kirsh Va et al. Prospective study of fruit and vegetable intake and risk of prostate cancer. J Natl Cancer Inst. 2007 Aug 1;99(15):1200-9.
22. Xiao D et al. Phenethyl isothiocyanate inhibits angiogenesis in vitro and ex vivo. Cancer Res. 2007 Mar 1:67(5): 2239-46.
23. Giovanucci E et al. A prospective study of cruciferous vegetables and prostate cancer. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2003 Dec:12(12):1403-9
24. Kristal AR, et al. Brassica vegetables and prostate cancer risck: a review of the epidemiological evidence. Ntr Cancer. 2002;42(1):1-9
25. Holzbeierlein JM et al. The role of soy phytoestrogens in prostate cancer. Curr Opin Urol. 2005 Jan;15(1):17-22
26. Aggarwal BB, et al. Molecular targets and anticancer potential of indole-3-carbinol and its derivatives. Cell Cycle. 2005 Sept;4(9): 1201-15
27. Zhang LL et al. A novel anti-cancer effect of genistein: reversal of ephithelial mesenchymal transition in prostate cancer cells. Adcta Pharmacol Sin. 2008 Sep: 29(9):1060-8
28. Nagata Y et al. Dietary isoflavones may protect against prostate cancer in Japanese men. J Nutr. 2007 Aug; 137 (8):1974-9
29. Ho CK, et al. Oestrogen and benign prostatic hyperplasia: effects on stromal cell proliferation and local formation from androgen. J Endrocrinol.2008 Jun;197(3): 483-91.
30. Amin S, et al. Estradiol, testosterone, and the risk for hip fractures in elderly men from the Framingham Study. Am J Med. 2006 May;119(5):426-33





Estrogénio 4

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , | Posted on 16:48

Estradiol

Os estrogénios ou hormonas estrogénicas são conhecidas como as hormonas femininas, isto porque estas se encontram em maior numero em mulheres que em homens. Estas moléculas estão directamente relacionadas com o crescimento, desenvolvimento e comportamento (na puberdade) do homem, são também responsáveis pela regulação no ciclo reprodutivo (menstruação e gravidez) e afectam muitas outras partes do corpo humano tais como, ossos, pele, cérebro e etc..


O Estradiol é a molécula mais abundante e mais potente das hormonas estrogénicas.

Dos estudos de hoje, os cientistas definem estrogénios como o material que estimula o crescimento de tecidos, devido a:
- Promoção da proliferação das células (síntese do DNA e divisão celular) nos órgãos sexuais femininos (útero e peito).
- Promoção do aumento do tamanho das células, como ocorre no peito feminino e nos músculos masculinos durante a puberdade.
- Iniciador da síntese de proteínas especificas.

Os estrogénios induzem tumores em animais de laboratórios e estão associados com o cancro da mama e do útero em humanos.Em relação ao papel que os estrogénios têm no desenvolvimento do cancro, podemos observar a formação dos aductos de DNA pelos metabolitos estrogénicos electrofilicos reactivos e a formação de espécies de oxigénios reactivos devido aos estrogénios, o que leva a alterações indirectas do DNA, por acção desses agentes oxidantes.

Assim, temos um DNA geneticamente e genomicamente mutante devido aos estrogénios. Há vários tipos de alterações indirectas do DNA:

-Alterações que são causadas pela indução oxidante dos estrogénios, tais como as bases de DNA oxidadas e quebra das cadeias de DNA.

- Formação de aductos de DNA devido a aldeídos reactivos, que provém de lípidos hidroperóxidos.

O Estradiol e os seus estrogénios sintéticos, também induzem a alterações numéricas estruturais dos cromossomas e muitos tipos de mutações génicas nas células, quer em meios de cultura, quer in vivo.

Nesta sociedade está provado que as causas de muitos do tipos de cancros, especialmente o da mama, do endómetrio, do fígado, dos ovários e da próstata, estão directamente ligados com a exposição inadequada ou/e prolongada de hormonas endógenas ou sintéticas estrogénicas, porque aumenta a proliferação celular devida aos estrogénios, o que leva ao aumento da probabilidade de mutações ocorrerem durante a síntese de DNA. Deste modo, podemos concluir que os estrogénios e as hormonas naturais, como o Estradiol, devem ser consideradas como cancerígenas e geneticamente tóxicas.

Estrogénio 3

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , | Posted on 16:33

De que forma pode o nosso modo de vida contribuir para o risco de cancro da mama?

Existem tipos de toxinas em compostos sintetizados pelo Homem, conhecidos como xenobióticos que contaminam os alimentos, a água e o ar. Muitos destes xenobióticos são carcinogénicos e muitos têm também actividade estrogénica. Quando os xenobióticos entram no corpo por ingestão, inalação ou através da pele, é feita uma tentativa para desentoxicar esses compostos e eliminá-los do corpo. O nosso sistema de desentoxicação não é totalmente eficiente e por isso, algumas toxinas permanecem na circulação sanguínea. Aquelas que são solúveis nas gorduras, ficam como reservas dos tecidos lipídicos e permanecem lá indefinidamente. A mama tem uma grande concentração de tecidos gordos e por isso é susceptível de concentrar em si muitas toxinas.

Um mecanismo de iniciação à carcinogénese por fontes ambientais é através da produção de radicais livres, que danificam o DNA ou o material genético, resultando numa mutação.

Outro modo como os xenobióticos podem contribuir para o cancro da mama é através da estimulação dos efeitos da hormona reprodutiva estrogénio. O estrogénio estimula o crescimento do tecido do peito e isto inclui as células de cancro que lá estiverem. Assim, o estrogénio é muitas vezes um grande estimulo para o crescimento e proliferação do cancro da mama. Os ovários são responsáveis pela produção de dois terços do estrogénio produzido por uma mulher em idade pré-menopausa. Nos nossos dias, uma mulher não só tem de contar com o seu nível natural de estrogénio, mas também com o tratamento de substituição do estrogénio na menopausa, mais o estrogénio extra provindo do ambiente (xenoestrogénios). A ligação entre o estrogénio e o cancro da mama é baseada no facto de mulheres com maior densidade óssea também têm maior incidência de cancro da mama. Grandes concentrações de estrogénio aumenta a massa óssea e pode também aumentar o cancro da mama. Se as mulheres sempre produziram estrogénio, por que razão este aumento dramático de casos de cancro da mama nos nossos dias? Não só os xenoestrogénios (toxinas ambientais) e os tratamentos de substituição terapêutica podem ser factores, mas também temos de ter em conta que as mulheres estão a produzir cada vez mais estrogénio natural ao longo das suas vidas. Por cada ciclo menstrual, há uma exposição a elevados níveis de estrogénio. As mulheres de hoje começam a ovular mais cedo e têm menos filhos, do que resulta uma maior exposição ao estrogénio e seus efeitos inerentes, durante um tempo de vida que também tende a cada vez ser maior.

Uma outra fonte de exposição ao estrogénio é a carne de vaca e o leite comercializados. O gado é criado com pílulas de estradiol para engordar. Relembre-se que o estradiol é a forma mais cancerígena do estrogénio. Para reduzir a exposição a fontes alimentares contaminadas com xenoestrogénios, reforça-se a necessidade de escolhermos uma alimentação saudável, rica em vegetais.

Para evitar o risco de excesso dos níveis de estradiol no organismo provocados por tratamentos de substituição terapêutica com estradiol, ou progesterona sintética, pode-se usar estriol e progesterona natural que até podem reduzir o risco de cancro da mama. Estas duas últimas hormonas podem portanto ser usadas na substituição hormonal na menopausa, com muito maior segurança e menos efeitos secundários.

Há muitos factores do nosso estilo de vida que podem influenciar a produção de estrogénio no organismo. A obesidade, por exemplo, aumenta a conversão de hormonas adrenais em estrogénio. O exercício físico baixa os níveis de estrogénio. O consumo de álcool aumenta os níveis de estrogénio. Uma dieta rica em fibras reduz os níveis de estrogénio por eliminação do mesmo através das fezes.

Os linhanos, compostos que se encontram em elevadas concentrações em sementes de linho, reduz a actividade estrogénica do corpo de outra maneira: os linhanos estimulam o fígado para produzir a hormona sexual ligante globulina. Esta hormona liga-se ao estrogénio e reduz os níveis de estrogénio livre na circulação. Só o estrogénio livre é que é activo biologicamente e capaz de contribuir para o cancro da mama. Os linhanos também têm acção antioxidante, diminuindo a formação carcinogénica no corpo e, além disso, tem sido demonstrado em estudos de cultura de células, que os linhanos reduzem o crescimento de células sensíveis ao cancro da mama e à angiogénesis.

Estrogénio 2

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 16:24

Metabolismo do estrogénio

O metabolismo do estrogénio no interior do organismo é um assunto complexo. O estrogénio é desintoxicado ou eliminado através da fase 1 e dois caminhos específicos da fase 2: a sulfação e a glucuronidação (fase 1 e 2 referidas anteriormente). A sulfação envolve conjugação do estrogénio com sulfato e a glucuronidação refere-se à ligação do estrogénio com glucuronida. A sulfação e a glucuronidação também processam outras toxinas. Se a fase 1 está com baixa actividade, vamos ter mais estrogénio retido na circulação. Se a fase 1 estiver com uma actividade normal ou até exagerada e a fase 2 estiver lenta, vamos ter mais formas carcinogénicas do estrogénio a permanecerem na circulação.
Uma vez que o estrogénio é processado na fase 2, é excretado na bílis e na urina. A bílis passa pelos intestinos para eliminação pelas fezes. Há uma enzima no organismo chamada beta-glucuronidase. Quando a actividade desta enzima é elevada, resulta na libertação de muito estrogénio e toxinas, que podem depois voltar à circulação pelo corpo. Beta-glucuronidase também aumenta a carcinogenicidade de certos compostos. Esta enzima é estimulada por ingerirmos carne e gordura animal e é suprimida se consumirmos fibras. Há também um suplemento chamado calcium D-glucarato, que não só inibe a beta-glucuronidase, mas também aumenta a actividade da via da glucuronidação da fase 2, conseguindo-se que mais estrogénio e toxinas sejam eliminados do corpo. O calcium D-glucarato tem sido encontrado em organismos animais para diminuir os níveis de estradiol e inibir a iniciação, promoção e progressão de cancro. Mesmo depois da exposição ao cancro, verificou-se que o calcium D-glucarato diminui a formação de cancro da mama. É importante compreender que é o glucarato, e não o cálcio, o responsável por estes efeitos. O calcium D-glucarato é um suplemento relevante na prevenção do cancro da mama.

Muitos outros compostos estão envolvidos na desintoxicação e eliminação do estrogénio: muitos minerais, vitaminas, ácidos gordos, aminoácidos, carbohidratos e vários fitonutrientes, incluindo os que se encontram nos vegetais crucíferos. Por esta razão, é importante consumir muitos bróculos, couve-flôr e couves.

Estrogénio 1

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 16:18

Desintoxicação e Metabolismo do Estrogénio

Processo de desintoxicação do organismo

O processo de desentoxicação do corpo envolve normalmente dois passos. O primeiro passo, referido como a fase 1, envolve a alteração química das substâncias envolvidas, para que seja mais fácil o organismo lidar com elas. O segundo passo, ou fase 2, envolve a ligação da toxina parcialmente transformada a um de vários compostos, de modo a tornar a toxina solúvel em água. Isto permite a eliminação total da toxina do corpo. Um facto importante do sistema de desentoxicação do corpo, é que a toxina parcialmente transformada resultante da modificação da fase 1 é muito mais carcinogénica do que era antes do corpo actuar sobre ela! Quando a fase 2 está a funcionar a par da fase 1, as toxinas parcialmente transformadas da fase 1 são eliminadas do corpo e tudo fica bem. Mas na vida real, nem sempre isto acontece. Outro facto importante acerca da fase 1 é que a sua actividade produz radicais livres. Quando o corpo está exposto a muitas toxinas, pode haver um grande aumento de produção de radicais livres que pode exceder a capacidade do sistema antioxidante de defesa do organismo. Nestas condições, a danificação do material genético torna-se mais provável, bem como a iniciação de mudanças malignas nas células.


Estrogénio

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , | Posted on 16:12

Estrogénio

Função

A produção desse hormônio começa na adolescência, quando é responsável pelo aparecimento dos sinais sexuais secundários na mulher, e vai até a menopausa. A falta de estrogênio causa as ondas de calor ou fogachos em aproximadamente 75 a 80 % das mulheres.

O estrógeno induz as células de muitos locais do organismo, a proliferar, isto é, a aumentar em número. Por exemplo, a musculatura lisa do útero, aumenta tanto que o órgão, após a puberdade, chega a duplicar ou, mesmo, a triplicar de tamanho. O estrogênio também provoca o aumento da vagina e o desenvolvimento dos lábios que a circundam, faz o púbis se cobrir de pêlos, os quadris se alargarem e o estreito pélvico assumir a forma ovóide, em vez de afunilada como no homem; provoca o desenvolvimento das mamas e a proliferação dos seus elementos glandulares, e, finalmente, leva o tecido adiposo a concentrar-se, na mulher, em áreas como os quadris e coxas, dando-lhes o arredondamento típico do sexo. Em resumo, todas as características que distinguem a mulher do homem são devido ao estrogênio e a razão básica para o desenvolvimento dessas características é o estímulo à proliferação dos elementos celulares em certas regiões do corpo.

O estrógeno também estimula o crescimento de todos os ossos logo após a puberdade, mas promove rápida calcificação óssea, fazendo com que as partes dos ossos que crescem se "extingam" dentro de poucos anos, de forma que o crescimento, então, pára. A mulher, nessa fase, cresce mais rapidamente que o homem, mas pára após os primeiros anos da puberdade; já o homem tem um crescimento menos rápido, porém mais prolongado, de modo que ele assume uma estatura maior que a da mulher, e, nesse ponto, também se diferenciam os dois sexos.

O estrógeno tem outros efeitos muito importantes no revestimento interno do útero, o endométrio, no ciclo menstrual.
[editar] Efeitos da falta do estrogênio

O estrogénio é responsável pela textura da pele feminina e pela distribuição de gordura. Sua falta causa a diminuição do brilho da pele e uma redistribuição de gordura corporal para partes caracteristicamente mais masculinas, ou seja, na barriga. É a falta de estrógenio que causa a secura vaginal, que acaba por afetar as relações sexuais ao tranformá-las em algo desagradável e doloroso.

O estrogénio também é relacionado ao equilíbrio entre as gorduras no sangue, colesterol e hdl-colesterol. Estudos mostram que as mulheres na menopausa têm uma chance muito maior de sofrerem ataques cardíacos ou doenças cardio-vasculares.

Uma outra alteração importante na saúde da mulher pela falta de estrógeno é a irritabilidade e a depressão. Por último o estrógeno é responsável pela fixação do cálcio nos ossos.

Após a menopausa, grande parte das mulheres passa a perder o cálcio dos ossos, doença chamada osteoporose, responsável por fraturas e por grande perda na qualidade de vida da mulher.

Estudos recentes têm associado a falta de estrógeno ao Mal de Alzheimer.


Outros efeitos:

* causa estimulação dos seios
* aumento da gordura corpórea
* depressão
* dor de cabeça, por causa dos vasos dilatarem e o aumento de seu diâmetro provoca dor de cabeça.
* interfere nos hormônios da tiróide
* aumenta os coágulos no sangue
* diminui a libido
* ressecamento vaginal
* enfraquece o controle do açúcar no sangue
* perda de zinco de retenção de cobre
* reduz o nível de oxigénio em todas as células
* aumenta os riscos de cancro do endométrio
* aumenta riscos de cancro de mama
* restringe um pouco a função dos osteoclastos
* reduz o tônus vascular
* aumenta riscos de doença na vesícula biliar
* aumenta o risco de doenças auto-imunes
* Insónia, que pode ser decorrente das ondas de calor que interrompem o sono
* Aumento de rugas, por mudanças na formação da pele

Subsidio Natal - 13º Mês

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , | Posted on 15:26

Anda a circular via e.mail e em alguns blogues uma informação sobre o famoso 13º mês, ou o subsidio natal por outras palavras.
Nos anos oitenta do século passado, não só os ingleses praticavam esta modalidade de pagar à semana, também os americanos que tinham negócios ''por aquela banda ou terriola''... recordo-me de mencionarem isso, as pessoas que trabalhavam para esses estrangeiros e ''que aquilo é que era bom'', diziam. De quarenta a oitenta mil escudos por semana era um oásis na década de oitenta do século passado.

Vejamos o e.mail ''circulador'' que anda a invadir as caixas de correio!! Incrível matemática.


13º mês não existe



Os ingleses pagam à semana e claro, administrativamente é uma seca! Mas ... diz-se que há sempre uma razão para as coisas! Ora bem, cá está um exemplo aritmético simples que não exige altos conhecimentos de Matemática mas talvez necessite de conhecimentos médios de desmontagem de retórica enganosa. Que é esta que constroi mitos paternalistas e abençoados que a malta mais pobre, estupidamente atenta e obrigada, come sem pensar!

Uma forma de desmascarar os brilhantes neo-liberais e os seus técnicos (lacaios) que recebem pensões de ouro para nos enganarem com as suas brilhantes teorias...
Fala-se que o governo pode vir a não pagar aos funcionários públicos o 13º mês.

Se o fizerem, é uma roubalheira sobre outra roubalheira.

Perguntarão porquê.

Respondo: Porque o 13º mês não existe.

O 13º mês é uma das mais escandalosas de todas as mentiras do sistema capitalista,
e é justamente aquela que os trabalhadores mais acreditam.

Eis aqui uma modesta demonstração aritmética de como foi fácil enganar os trabalhadores.

Suponhamos que você ganha € 700,00 por mês. Multiplicando-se esse salário por 12 meses,
você recebe um total de € 8.400,00 por um ano de doze meses.

€ 700*12 = € 8.400,00

Em Dezembro, o generoso patrão cristão manda então pagar-lhe o conhecido 13º mês.

€ 8.400,00 + 13º mês = € 9.100,00

€ 8.400,00 (Salário anual) + € 700,00 (13º mês) = € 9.100 (Salário anual mais o 13º mês)

O trabalhador vai para casa todo feliz com o patrão.

Agora veja bem o que acontece quando o trabalhador se predispõe a fazer umas simples contas
que aprendeu no 1º Ciclo:

Se o trabalhador recebe € 700,00 mês e o mês tem quatro semanas, significa que ganha por semana € 175,00.

€ 700,00 (Salário mensal) / 4 (semanas do mês) = € 175,00 (Salário semanal)

O ano tem 52 semanas. Se multiplicarmos € 175,00 (Salário semanal) por 52 (número de semanas anuais) o resultado será € 9.100,00.

€ 700,00 (Salário semanal) * 52 (número de semanas anuais) = € 9.100.00

O resultado acima é o mesmo valor do Salário anual mais o 13º mês

Surpresa, surpresa ? Onde está portanto o 13º Mês?

A explicação é simples, embora os nossos conhecidos líderes nunca se tenham dado conta desse facto simples.

A resposta é que o patrão lhe rouba uma parte do salário durante todo o ano, pela simples razão de que há meses com 30 dias,
outros com 31 e também meses com quatro ou cinco semanas (ainda assim, apesar de cinco semanas o patrão só paga quatro semanas)
o salário é o mesmo tenha o mês 30 ou 31 dias, quatro ou cinco semanas.

No final do ano o generoso patrão presenteia o trabalhador com um 13º mês, cujo dinheiro saiu do próprio bolso do trabalhador.

Se o governo retirar o 13º mês aos trabalhadores da função pública, o roubo é duplo.

Daí que, como palavra final para os trabalhadores inteligentes. Não existe nenhum 13º mês.
O patrão apenas devolve o que sorrateiramente lhe surrupiou do salário anual.

Conclusão: Os Trabalhadores recebem o que já trabalharam e não um adicional.



Comentário deixado pelo PI, referente às contas acima:


- as contas estão mal feitas…
Este mail parte de um pressuposto errado, que todos os meses têm 4 semanas, o que é errado, há meses com 5 semanas, ora vejamos, o senhor que fez este mail divide e multiplica usando as 52 semanas quando convêm e 4 semanas mês quando não convém…

€ 700,00 (Salário mensal) / 4 (semanas do mês) = € 175,00 (Salário semanal)

O ano tem 52 semanas. Se multiplicarmos € 175,00 (Salário semanal) por
52 (número de semanas anuais) o resultado será € 9.100,00.

€ 700,00 (Salário semanal) * 52 (número de semanas anuais) = € 9.100.00

Fazendo as contas certas:
700€ (salário mês) * 12 meses = 8400 €
8400€ / 52 semanas = 161,53 € e não os 175 €…
Isto simplesmente porque se partimos do principio que TODOS os meses têm 4 semanas, se multiplicarmos 4 semanas *12 meses = 48 semanas num ano, ficam a faltar 4 semanas, que é 1 mês.





O QUE É SER MULHER

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , | Posted on 11:30

Mais um daqueles textos para meditar, não para ler como se lê um jornal... 

 
ESCREVER MULHER:

Sou mulher mas tenho certa dificuldade em entender essa prática recente de endeusar as mulheres. Mulheres, uni-vos? Por que não conclamar todos os seres humanos a unirem-se uns aos outros e esquecerem essa bobagem de ser homem, mulher, branco, índio, gordo, homossexual, trissexual? Porque os homens devem se unir com os homens, as mulheres com as mulheres, os ateus com os ateus, os esotéricos com os esotéricos? Não vejo sentido nisso! Acho que você não vai gostar desse meu artigo: http://cadeaminhavida.blogspot.co, mas se puder, leia. De qualquer modo, um beijo pelo seu blog.

UMA GRANDE ESCRITORA ESCREVEU:

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo." *

Isto...diz tudo sobre a mulher que somos e não somos e agora a questão que nos resta é perguntar-se porquê?
Porque não sabe de si a mulher, nem dizer-se?
Se se aprofundar a questão, pois trata-se de aprofundar a questão do SER MULHER EM SI precisamente e não do SER HOMEM, porque à partida são naturezas diferentes, que se manifestam por emoção e intuição e razão acção respectivamente e independentemente de cada um destes seres, que se completam ou não, e poderem ser amantes, vemos que há uma supremacia de um, um domínio histórico e social e uma anulação e sujeição de outro e que ambos estão em conflito há muito e nada mudou em profundidade, mesmo que na superfície da vida moderna que vive de aparências e de estereotipas fabricados e fictícios se pense que sim...
A Mulher não sabe de si como a um certo nível o homem também não sabe, dir-me-ão…falando do plano metafísico, mas é aí precisamente que a questão se levanta. Talvez a Mulher e o Homem não saibam de si ontologicamente porque a Mulher se perdeu na História do Homem. A mulher foi aglutinada, foi reduzida a um simulacro de mulher, foi abduzida, desventrada, transformada num objecto de uso e consumo comercial…


“A mulher não está sabendo, mas ela está cumprindo uma coragem. A coragem da mulher é a de não se conhecendo, no entanto prosseguir, e agir sem se conhecer exige coragem”. *

Basta olhar o que se passa à nossa volta…ou ver as telenovelas; aí pode-se ver que as mulheres e os homens estão em conflito permanente, E SOBRETUDO AS MULHERES UMAS CONTRA AS OUTRAS A LUTAREM PELO AMOR DOS HOMENS...e aqui tem de se olhar e ver com olhos de ver... não se pode falar pelo homem e pôr-se a mulher na sua pele, mas falar de si mesma e sentir-se na pele de mulher. NÃO PELO QUE SENTE PELO HOMEM mas pelo que ela é enquanto mulher...

Esse é o erro comum das mulheres em geral: amam os homens ou projectam-se no ideal do homem porque NÃO SÃO NADA EM SI...SÃO O QUE O HOMEM QUIS QUE ELAS FOSSEM E ISTO EM TODOS OS DOMÍNIOS...e infelizmente elas pensam que são apenas isso e tratam de viver a “sua” vida só em função dos homens e para lhes agradar! Sacrificam tudo em função do Homem que as preencherá…que lhes colmatará os sonhos, pensam…os homens que lhes darão filhos, riqueza, sucesso, dinheiro…Os homens que darão sentido à sua vida porque a sua vida em si não tem nenhum sentido!

OLHEMOS BEM À NOSSA VOLTA E VEJAMOS SE NOS DAMOS MAIS IMPORTÂNCIA A NÓS MESMAS OU AO HOMEM QUE SE PROCURA PARA NOS "COMPLETAR"? Vão me dizer que é o espírito abnegado da mulher…ou é antes a forma como foi forçada a anular-se? O que nos mostram os filmes, os romances e as telenovelas senão a subjugação da mulher ao homem em nome de qualquer coisa como a família e o “amor”… ou hoje em dia que se chama paixão, desejo…tesão…

Olhar e ver a realidade sem medo não significa defender as mulheres ou acabar com os homens !!! Trata-se só de ver o que é e acontece quando a mulher não sabe dizer o que é porque se desconhece ontologicamente...porque não só foi anulada na sua natureza profunda, alienada de si mesma, como permanece divida, fragmentada...a “mulher” comum é mais como um homem “de saias” como se diz ou pró-homem do que Mulher-mulher ela mesma.
Sim, a mulher não se ama a si mesma...não se conhece na sua intimidade que não seja a sexual justamente em função do homem e mesmo assim mal…ou fala da sua maternidade forçada…Não sabe da sua Natureza integral e é por isso que a Deusa é a parte da mulher esquecida, a sua natureza intuitiva, selvagem, ligada à natureza e à Terra e que através de um processo de consciencialização dessa dividsão pode revelar-se em si essa sua natureza intrínseca e assim revelar então ao homem o seu deus interior...que ele próprio matou ao matar a deusa e a mulher na cultura e na história da Humanidade homem…uma vez que a mulher foi subordinada e anulada nas suas funções inatas em quase todo o mundo patriarcal.

“Sou tão misteriosa que não me entendo.”*

Depois, Só depois, de se conhecer a fundo, de conhecer o seu mistério e de se afirmar por si, a Mulher será verdadeiramente humana ou verdadeiramente livre; só depois, quando a mulher em todo o mundo for respeitada como a mãe e a amante, livre e sem divisões dentro de si...seremos todos humanos, brancos, pretos e amarelos, vermelhos...

O reflexo de tudo isto nos nossos dias é o que vemos na nossa “cultura” e por todo o lado…Olhemos com olhos de ver e vejamos o quão lamentável é as mulheres odiarem-se umas às outras – elas detestam-se, confrontam-se, irritam-se, invejam-se e lutam desesperadamente umas contra as outras...porque amam só os homens, os amantes, os maridos, os filhos...e todas as mulheres as outras são potenciais rivais. Foram assim treinadas como animais de estimação...farejam o dono e adoram-no...só falam de homens e esquecem-se de si mesmas, perdidas do seu ser essencial...

Claro, acham que eu sou uma radical…uma fanática da Mulher…
Sou o que quiserem, mas ninguém me tira a lucidez que me fere os olhos (e o coração) diante desta realidade do Ser Feminino traído e reduzido a uma imagem de plástico…

Rosaleonorpedro

* Citações de Clarice Lispector

Papoila Red

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , | Posted on 10:33




Papoila Red, cheia, faltam palavras
Metida ao silêncio, na burrice das palavras
Deixa cair o vestido, sorri amarelo
Tem pés de prata, quem nela pisar, cai
Estendeu, Papoila Red, aquele singelo cotovelo
No alto da montanha, campo farto, desbotou o novelo
Sempre que levantava redonda cabeça, ouvia ‘’Ai!!’’
Julgou ser o Elo sem nexo ou anelo do Eco que vivia de ‘’Ai’’…

Houve um dia, Papoila Red, começou a cansar
Dizem que, desde esse dia, nunca parou de cansar
Depois de muito acasalar
Já não havia nada que na palavra dissesse vou cantar a ‘’Casar’’

Papoila Red vive de amantes
Mas foi na bruma de avalon que viu o homem de navegantes…

NãoSouEuéaOutra in '' Amo as Papoilas, não me roubem elas ''

Possessão de uma Alma por uma Outra

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , | Posted on 17:07




Possessão de uma Alma por uma Outra


Crónica por Revisar


Passaram-se vários anos. Tudo tinha sido tão duro e difícil. Emocionalmente caótico e devastador em todos os níveis. Levara vários anos para perceber o que era ser um verdadeiro objecto às mãos de um outro. O que era ser um verdadeiro prisioneiro. Compreendera que o Amor muitas vezes vestia-se com muitos tipos de saiotes e, nem sempre o vestido que os tapava denunciava que havia beleza naqueles.
O que começara por ser uma entrega honesta acabara por se tornar uma obsessão. Uma obsessão que não nascera por acaso. Uma obsessão por verdade e respeito. A raiva nascia por tudo e nada, por culpabilidade e pela fraqueza de não colocar um ponto final. Diz o ditado que tudo o que não nos eleva, acaba por nos destruir e que dar continuamente sem nada receber, acaba por nos matar. Naquele tempo, quando as rosas estavam belas no jardim e a paixão estava toda vermelha e se lutava pela verdade daquilo que se sentia, aquele Outro resolvera num dia como qualquer outro, levado por não se sabe bem o quê, a praticar o acto final que iria derrubar a confiança. A Traição. Há vários tipos de traição e, tudo aquilo que desrespeita o sentimento do outro e o leva a sofrer não pode ser considerado uma relação de amor ou sequer de amizade. Quando não se leva em consideração aquele que escolhemos para estar ao lado, há uma desonestidade.
Aquele Outro, não apenas praticara uma traição, mas vários subtipos de traição. A mentira fazia parte da sua personagem e que já vinha detrás, de uma outra vida anterior. Uma mentira atrás da outra. Sabemos que com o tempo a mentira vai tendo as pernas curtas e um dia fica tudo a descoberto. Vários meses se passaram desde que se conheceram. Um relacionamento que começou como uma aposta entre um determinado grupo. Prendia-se o facto de ser-se difícil. Não era fácil seduzir. Alguns dias depois, iniciava-se um relacionamento sem pés nem cabeça, cuja vida desse Outro era extremamente caótica. Recentemente separado de um longo casamento e ainda tivera a ousadia de fazer uma aposta. Só homens de forte ego é que fazem apostas deste tipo como quem aposta numa corrida de cavalos.
Seis meses após o namoro, numa época farta de flores a florescer, sua excelência o Outro teve a ousadia de ter um caso. Por dias desapareceu. Afirmara que estava com trabalho. Em trabalho lúdico. Foi essa a primeira vez que o corpo se sentiu sem norte, uma angústia avassaladora entrou pelo corpo, penetrou em todas as veias, em todos os nervos, em todas as células. Viajou aos rins e ao fígado e tombou no coração. Ficou quatro dias a olhar para as paredes com um sentimento de sufocação, agressão, devastação. Não se ouvia o menor ruído do Outro em termos físicos, mas todo ele ladrava e entoava na alma.
Quatro dias levaram ao abismo que nunca conhecera. Uma voz indómita ressoava como uma pantera das profundezas e rugia e arranhava com as garras toda a flor da pele, todo o sentimento puro. O filho da puta acabara de cometer uma atrocidade e iria escondê-la com todos os dentes enquanto durasse o envolvimento. Anos mais tarde, confessou à melhor amiga que tinha sido uma besta e que fizera-a sofrer além do suportável. Que ousou das mais macabras desculpas e mentiras para fazer o que quisesse e nunca se importando com o mal que fazia. Era importante tirar-lhe as certezas com que afirmava as suas sensações – intuições, e que eram 99 por cento certas. Dissera-lhe se tivesse sido honesto tudo teria sido diferente e que lamentava o que fizera. ‘’Sim, de facto fora muito mau’’ dissera-lhe.
Naquela tarde, surgiu à frente. Caminhava erguido na sua direcção como se tivesse enchido a barriga, e o ego era o que mais denunciava. Feriu-a, aquela imagem daquele Outro a caminhar na sua direcção. O destino fora fatal, colocara-a na porta para ver a chegada do patife que vinha com um sorriso rasgado de uma ponta à outra. Naquele dia tornara-se um objecto e desrespeitada. Perguntou-lhe, ‘’tantos dias sem dizer nada; o que tens a argumentar com esta atitude?’’
O Outro confrontado rira-se na sua cara. Pela primeira vez subiu-lhe uma violenta emoção, e teve a certeza absoluta que aquele rosto tinha cheiro de uma outra mulher. Encarou-o. Covardemente desmentiu. Afirmou que andava a imaginar demais, que a sua veia de imaginação fértil era fora de série. Anos mais tarde, percebera que não o levara a praticar tais actos. Era já da sua natureza. Um casamento de quinze anos pautados por traições sucessivas à mulher e que foram revelados ao longo do namoro. Agora estava ali a levar com toda aquela vida passada daquele Outro. Estava abatida e desgastada psicologicamente. Foi uma má escolha envolver-se com esse Outro, uma consequência do destino sobre qual não teve controle.
Nunca mais os dias tiveram sabor. As veias envenenadas e teias invisíveis acorrentavam de tal forma que não conseguia a lucidez suficiente para parar. O parar seria apenas um Não. Um simples ‘’Não’’ teria feito toda a diferença. Teria entregue ao destino do Outro a outra coisa e teria salvo a sua própria vida e o seu caminho. Nunca o teria direccionado a um lugar e estilo de vida que nunca sonhara, anos mais tarde esse Outro deixara de ser sombra neste mundo material, onde toda a vida tinha estado!!
Começou a andar curva, nebulosa e cada vez mais pesada. Tinha caído sobre os seus ombros um peso gravitacional enorme. O Outro ria-se. Quanto mais poderoso se sentia mais corrompia e abusava. Era um objecto ao serviço do caminho. Cada dia uma morte ia sucedendo. Um dia entrou em coma de tanta emoção que carregava. Acordou doente. Nunca mais foi igual. A simples presença daquele Outro pela falsidade que sentia, não conseguia torná-la consciente mataram o melhor. Eram tantos fios invisíveis que prendiam cada fio do cabelo. Perdera a razão sobre si.
Sugou o sexo, esse Outro, sugou a alma, sugou a emoção, sugou o destino, sugou o potencial. Esse Outro cuja esposa tentara o suicídio meses após a separação, tentava vomitar a dobrar as sombras todas sobre o corpo franzino daquele ser cujo riso era água a correr. Passaram-se uns anos, estava desgastada fisicamente e devastada psicologicamente e, foi então que a Ruindade resolveu empreender num negócio que implicava uma distância bastante grande e uma ausência igualmente. Um negócio chamativo em termos de ganhos monetários. Para um pobre, aquilo era uma sorte tremenda. Dedicou-se de alma e coração a programar tudo. Esqueceu-se dela. Completamente. Foi nesse tempo que percebeu que não fazia parte do seu destino. Era apenas a meta. Era o euro milhões da sua vida. Às traições, outras traições ocultas e densas surgiram. O Amor não estava nos planos dele, nunca esteve. Nunca viveram juntos, nunca casaram. Ela nunca quis, apesar da obsessão. Coração traído, não tem remendo quando o Outro continua burro. E depois, depois... é difícil amar um mulherengo, mas mais difícil se torna amar um abusador, um aproveitador.
Aquela época que antecedeu a grande viagem que acabaria por se revelar um autêntico fiasco, foi um tempo de escuridão cerrada. Um sentimento devastador indefinido, tendo como pano de fundo a traição. Traição que ajudou a alimentar e que covardemente e sem escrúpulos gozava na cara. ‘’Voçê precisa ir no psiquiatra.’’ - Dizia o Outro. Chegou a viagem, e, toda a inquietação morava dentro. Corroía como ácido clorídrico por todo o sangue. Uma acidez mortal. Não compreendia como ainda vivia.
O sol estava forte no horizonte, colocaram-se diante um do outro. Prometeu que não a esqueceria, era apenas trabalho. Um sufoco atirava ao chão tudo o que era livre. Abraçou dizendo que logo regressaria. Prometera. Sempre prometera. Promessa que nem no passado e futuro desse dia, alguma vez respeitou. Eram tantas as promessas. Agarrou os braços e beijou-lhe a face e os lábios e pronunciou, ‘’gosto tanto de ti’’. Naquele momento passara a gostar imenso. Parecia absurdo. A falsa convicção estoiraria qualquer bomba se ela estivesse por perto naquela altura. Um último beijo. A entrada no carro. O adeus pela janela.
Só por tempo indeterminado. Um mês, dois meses. Não sabia. Só. Estava só junto do carro, deu uma última vista ao carro que desaparecia na curva da rua. Olhou para o céu. Sol tremendo. Ardia. Perguntou-se, ‘’e agora?’’, não ouviu voz nenhuma, apenas um longo suspiro e camadas e camadas de emoções a abandonarem o corpo. Uma vitalidade vinda de algures, misteriosa inundou todas as células. Despertou. Absolutamente viu sair todas as nuvens, todos os pesos que nunca soube explicar de dentro de si. Seu corpo físico, mental e emocional estavam drenando todo lixo. ‘’ Que se passa? O que está acontecendo comigo? ‘’, questionava. Todo o peso emocional daqueles últimos anos estavam a abandonar o seu corpo de forma rápida. De repente percebeu que estava livre. LIVRE. Sentia-se a viver, a reconquistar a sua força. Ligou o carro e voou a alta velocidade em direcção a todos. De imediato lhe leram a aura, e disseram de onde tinha saído? Estava tão bela!!
Que carma andou a carregar naqueles anos de relacionamento; porque tinha sumido de dentro de si qualquer sentimento ou emoção ou aniquilação logo a seguir que aquele Outro partiu? Era um mistério. A quem servia? Que força magnética tão baixa aquele outro tinha? Não conseguia encontrar respostas. Resolveu viver a nova vida que estava dentro de si.
Tempos depois, o Outro regressou, vinha com toda a sombra. Os papeis pareciam invertidos. Chorava, esperneava e logo logo a sombra encontrou o hospedeiro novamente. Murchou como todas as flores quando o sol aquece demais e seca a terra e as pétalas. Mas... mas, nada voltou a ser como antes, apesar de um aparente retrocesso. Apenas um abuso maior estaria para acontecer e seria o final dos meios finais e acabou no grande final! Apenas um ano e meio e a bomba estalou. Essa é outra história e desde então, já se passaram 25 anos.

NãoSouEuéaOutra in '' Histórias Humanas ''

Vertigem de Ti

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , | Posted on 15:46


Vou nas Vertigens dos dias, colada e cega às Saias. Esqueço-me  lembrando dos teus lábios, em especial o canto deles. Viro fantasma quando a vontade de te beijar é soberana. Mas tu não sabes que existo em sentimento por ti. Existem Vaginas à solta na sepultura deste coração, cuja forma é de Ouro e suas veias de Prata. Toda Eu Sou Tua, na devassa imensidão desse mundo que não cabe na palma da mão.
Vou colada à Memória das Rosas, dos aromas do Ser Infinito. Tu, tu não sabes que existo em sentimento por ti, e tu cabes na palma da minha mão. Deixa-me abocanhar-te quando de ti me aproximar na próxima encarnação e pela Vertigem da força fazerei todo o Amor possível, lambendo-te à exaustão do sublime.

NãoSouEuéaOutra in ''Curtas e rápidas''


Sexo, Fitas e Mentiras

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in | Posted on 10:59

«« As mulheres e as crianças (sem pronunciar sobre o planeta terra e como o ecossistema está falindo dia a pós dia) continuam a ser os seres humanos mais afectados pela mão do homem. A ganância é filha do homem e dela gera-se as maiores barbaridades e que nem ao próprio diabo lembraria. A mulher está a tentar ser perfeita à conta de tantas plásticas para agradar ao homem, e claro para concorrer com outras mulheres filhas do Papai. Enquanto o homem manter a mulher, o feminino como uma espécie de doença e ainda assim servindo-se da servidão dela para atingir objectivos puramente egóicos, estaremos sempre condenados à cultura de morte, às doenças e muito mais agora, como as doenças industriais filhas de uma sucessiva urbanização anti-vida… urbanização não é feita de florestas, e sim, de Betão!!

Temos uma outra realidade a surgir no horizonte...

O assassino não é mais visto como assassino e daí é lhe oferecida a opção de como matar, e matar melhor. Porque como o crime está se tornando uma normalidade, os crimes tendem a ser cada vez piores. Porquê? Porque um assassino já não está para praticar um crime igual a tantos outros. No futuro, não tão distante, o crime passará a ser uma profissão. Quem gostará de viver numa terra, cuja esquina tem alguém esperando para matar melhor? Para roubar melhor? Para violar melhor? No meio disto tudo a vítima é considerada doente, inexistente e não faz falta à sociedade e logo, sua boca não pode pronunciar nada!... Portanto, mulheres continuem a aplaudir esta sociedade que vos trata bem mal, que vos tira a verdade, que vos rouba os filhos gerados com amor no ventre, que vos esquarteja para tornar-vos objectos de beleza e sexuais, pois há que vender o produto patronal, patriarcal... esqueçam a vossa voz, sirvam o pai que nunca vos amará, só sob a condição de escrava e serva e fita-cola na boca...»»
NSEEAO





O Pedido (ABSURDO e NOJENTO) de um Ex- Cardeal


PARIS (Reuters) - Gravações em que o ex-cardeal Godfried Danneels pede a uma vítima para não revelar que sofreu abuso sexual de um bispo estão amplificando um dos piores escândalos que já atingiram a Igreja Católica Apostólica Romana.
As fitas, gravadas secretamente pela vítima, foram publicadas em dois jornais belgas no sábado e mostram o antigo líder da Igreja na Bélgica pedindo para uma vítima que aceite um pedido de desculpas em particular ou espere um ano para que o bispo se aposente antes de tornar o caso público.
O encontro aconteceu no dia 8 de abril, num momento em que o Vaticano estava sob ataque por ter tentado encobrir casos de abuso sexual por padres em outros países.
Um porta-voz de Danneels negou que arcebispo de Bruxelas tivesse tentado encobrir o caso, que causou a renúncia repentina do bispo de Bruges, Roger Vangheluwe, 73, naquele mês. Contudo, as fitas mostram o arcebispo pedindo silêncio.
O porta-voz da Igreja na Bélgica, Jurgen Mettepenningen, confirmou à Reuters que as transcrições que apareceram nos jornais De Standard e Het Nieuwsblad eram genuínas.
"Lendo-se o que ele disse se vê que ele estava tentando evitar que o caso se tornasse público depois de tantos anos. É contenção, nada mais", escreveu o De Standaard num comentário, acusando Danneels de não ter compaixão.
A Igreja sofreu no último ano por conta de dois relatórios detalhados do governo da Irlanda sobre o abuso sexual e uma onda de acusações de abuso na Alemanha, Suiça, Áustria, Bélgica e Holanda. Cinco bispos já renunciaram por causa dos escândalos.
Documentos oficiais e cléricos publicados nos Estados Unidos este ano mostram como bispos americanos e o Vaticano lidaram com padres predadores sem informar à polícia dos crimes.
RARO RELATO DETALHADO
As fitas belgas são um raro relato detalhado de como um líder da Igreja Católica tentou persuadir uma vítima, o sobrinho de 42 anos de Vangheluwe, a ficar quieto sobre o caso.
Elas surgiram justo quando uma investigação policial sobre o escândalo estava prestes a cair por terra depois que uma invasão da polícia à residência de Danneels para apreender documentos foi considerada ilegal e as provas coletadas durante a ação foram anuladas no tribunal.
Em sua reunião privada, a vítima diz que sente ser sua obrigação relatar o caso à alta hierarquia da Igreja e pede ajuda a Danneels. O cardeal responde pedindo que a vítima não torne o caso público.
"O bispo vai renunciar no ano que vem, portanto eu acho que seria melhor você esperar", diz o cardeal, segundo as fitas. "Acho que você fará um favor a si próprio e a ele se não sair gritando o caso por aí."
O homem pede ajuda, mas Danneels, que havia renunciado do arcebispado em janeiro, diz que não pode disciplinar o bispo nem informar o Papa Benedito. O bispo deveria se entregar, ele diz.
Danneels diz à vítima que ele não deve tentar chantagear a Igreja e pede a ele que peça perdão e aceite um pedido de desculpas particular do bispo em vez de "afundar seu nome na lama".
"Ele afundou minha vida inteira pela lama dos cinco anos aos 18", diz a vítima, que nega estar tentando chantagear alguém. "Por que você sente tanta pena dele e nenhuma de mim?"
SEGUNDA FITA
Numa segunda fita, Danneels e Vangheluwe encontram-se com a vítima e um de seus parentes. O bispo pede desculpa e diz que durante anos buscou uma maneira de buscar perdão pelo que ele fez.
"Isso não tem solução", responde o parente. "Você destruiu nossa família."
Vangheluwe renunciou no dia 23 de abril, admitindo que havia abusado sexualmente "um garoto que me acompanhava" há aproximadamente 20 anos.
Segundo o De Standaard, ele saiu do cargo depois que um parente da vítima enviou um email a todos os bispos belgas exigindo que ele renunciasse até o fim de maio.
O jornal disse que a vítima decidiu trazer a público as fitas para responder a acusações de que ele havia tentado extorquir dinheiro chantageando Vangheluwe.
Em sua defesa, o porta-voz de Danneels Toon Osaer disse que o cardeal nunca quis encobrir o caso e que ele havia falado sobre o caso numa coletiva de imprensa no dia 24 de abril.
Fonte: G1
APOSTASIA JÁ!

Dissertação inconseqüente

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , , , , | Posted on 12:15

Dissertação inconseqüente:

Música, texto... Tudo inconseqüente! Menos o Nelson Cavaquinho, é claro!



Por que os amantes, os poetas deslumbrados, apaixonados por musas às vezes indiferentes, falam tanto em coração? Será por que pulsa latente, por bater freneticamente ao ver a mulher amada este órgão vital, eleito símbolo metafórico do amor? Sei não... Sou mais o meu fígado boêmio, que me atura penitente tentando coar o álcool bebido nos bares, botecos, botequins mal afamados, acompanhado de cantorias e choro contido, agora bêbado liberado (o choro), por algum amor não correspondido.

Meus pulmões apavorados, engasgados pela fumaça azul dos meus cigarros, tossindo respiram ou tentam suspirar por ela, versos tristes de dor.

São eles: fígados, pulmões que te amam, não esse coração inconstante inconseqüente, doido por outro rabo de saia, pelo primeiro olhar lascivo de outra mulher, quiçá, próxima paixão. Não, meu fígado não! Ele sempre será fiel a você. Bêbado ou não ele nunca cantará: “Esta é a última canção que faço pra você...”. Eita que já escutei e fiz muito isso! Em muitos templos chamados de “Bares da vida”.

Por isso, poetas cantadores noturnos, deixem o coração em paz. Ele tem que bater compassado como um operário de fábrica para poder sempre, em serenatas cantar a todas as mulheres amadas “Se você quer ser minha namorada, ai que linda namorada...”, acompanhado pelo conjunto regional: fígado, pulmão, pandeiro, roucas cordas vocais, moelas como tira-gosto, cana, cerveja e violão.

Antes que alguém me pergunte, esse não sou eu não! É o protesto dos órgãos subordinados ao bendito do meu coração.



Yon Rique


Annabel Além

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , , , , , , , , | Posted on 11:12



O Diário de Annabel Além

- estou presa no fio do abismo, disse ela sorrateiramente… -


Eu, Annabel Além, preciso das minhas lágrimas. Preciso senti-las quentes a percorrerem o rosto. Sentir os lábios ardidos e salgados. Eu preciso das minhas lágrimas. Secá-las no lenço. Preciso chorar a intensidade dos amores, as alegrias das belezas, as dores de saber tudo transitório. Preciso chorar a intensidade da perca, a emoção do encontro. Sou água de lágrima, mar por dentro. Preciso chorar intensamente e rugir selvaticamente. A dor é qualquer coisa indescritível. Nunca saberemos quando a dor de uma Alma ou de um Coração vai embora! Nunca, nunca o saberemos!!
Preciso gritar, ‘’ninguém, nada tem o direito de matar o amor no coração de um ser?! NINGUÉM, NINGUÉM!! ‘‘. Que ardas na fogueira, a sentença que me colocaste sobre o peito. Feriste-me o espírito, velha maldita!! Inutilizaste a ferramenta número 1, a mais poderosa de todas, a que move fundos e mundos; montanhas e céus. Tentaste roubar, invejosa; ousaste sugar, maldita sejas. Separaste e ousaste dizer aquela barbaridade! Disseste, ‘’vai e mata pela tua salvação!’’. Que crueldade te habitou a esse ponto, para instruíres uma criança a praticar tal acto?? Como entrou tudo isso no teu coração? Como tiveste a coragem de vociferar tantos horrores àquela criança?
Eu, Annabel Além, preciso chorar, as lágrimas. As lágrimas precisam queimar o rosto para desfazer-se da visão desse castigo. Preciso de Lágrimas para secar a culpa que não existe e nunca existiu de facto. Na prisão está uma condenada por um crime que não praticou. Não consegue recorrer da sentença e nem provar a inocência. Demasiados juízes têm a criança amarrada. Ela tem 2 anos. Chamo-me Annabel Além.

NãoSouEuéaOutra in '' Diários Compostos de Figuras Humanas sem voz ''


Série de imagens ( fotografia e grafismo ) e textos que classifiquei de '' Curtas e Rápidas ''. Pequenas metragens de cenas vazias/cheias,  ocasiões perdidas/achadas, sonhos naufragados/salvos, abraços quentes, corações saltitantes, dizeres cabrestos... tudo mais e sei lá mais...

Grito na Gruta da Boca l

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , , | Posted on 01:26




Eu, quis que esta Eternidade fosse longa. Queria ter-te sempre nos meus abraços e braços. Queria Amar perdidamente. Queria Amar loucamente. Desculpa-me se não fui capaz! Desculpa-me. Eu quis que esta Eternidade fosse longa. Para apagar os erros e crescer num outro horizonte. Entende-me, por favor?!! Não sabes a falta que me faz! Esta falta maldita que corrói o corpo gasto por quilómetros de batalhas. Há em mim tanto Amor abafado. Abafado, abafado... entendes? Tenho medo, medo que ele arrebente, e como Neptuno saído dos mares devore a eterna carne daqueles que poderei tocar. Não aguentaria, porque não aguento o próprio mar que me habita.
Não sou poeta, não sou guerreiro... sou esta corrente louca, sem travões que abarca a existência com o olhar da eterna saudade, da falta que não termina. Diz-me que raio de Absoluto é esse que não ousa dar-me uma simples poeira de estrelas?! Diz-me, diz-me... entende-me que preciso de saber!!??

NãoSouEuéaOutra in '' Curtas e Rápidas ''

Um Homem algures na Terra

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , , | Posted on 10:13


Estive toda a tarde Toda a tarde sem saber Sem saber o que fazer Procurei nos livros nas folhas velhas do tempo escritas à velocidade de um tufão  se encontrava a prosa do teu nome Nada encontrei e duvido que o Amor exista através de ti apenas porque vivemos em Terra de Deus Menor

Se algum dia o barco escalar à porta dos meus pés e com ele trouxer as poeiras das estrelas todos os rastos dos planetas a curva cósmica então eu eu eu irei Partirei como quem encontrou a Alma na Vida A saudade não mais me matará

NãoSouEuéaOutra in ''Curtas e Rápidas''

sem Pontos sem Vírgulas sem Reticencias sem Exclamações ou Interrogações nada apenas heresia e só a palavra



CANÇÃO DE LUZ

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , | Posted on 09:52



Flow(er) Me
Flow(er) Me
Flow(er) Me


CANÇÃO DE LUZ


Vem, resgata o tempo
Coloca a mão em meu ventre
Expurguei você na tristeza
Por direito de adormecer em esquecimento
Para os cavalos das posses transitórias
Passarem, passarem... Queimados estão
Estarão aos gritos em pecado animal
guerras do próprio mal

Aproxime-se cheio de sangue
Com a mesma cara de feto, o início
Do olho no olho, Amor
Da mesma cor tão vermelha
Venha à terra que chegaste
Como primeiro viajante
Não a poeira que te comeu os pés
a cruel e vã centelha

Ressurja verde com seus lírios
Seu sorriso branco cheio da inocência
Entre seus olhos pequenos
O terceiro olho que rege o destino
Sua brisa moldando meu rosto risonho

Amor como quiser chegue
Reparta o coração desse peito
Latejante, soluço da alma
Suje de sangue, sangre derrame
A entrada da vida... de todas as coxas

Rasgue em gozos fálicos
Tudo que assim sou feita
Entre as chorosas gotas
Do suor de uma vida plena conduzida
E tantas idas, a uma seca ferida

Deixe queimar, morrer seus garfos
Que te feriram e que vieram a ferir-te
Não há mais poda, nem navalha suicida
O passado foi ilusão canalha, falha
O poder da soberba desvairado oxida

Há o jogo das flores aqui
Dentro da seiva líquida,
das veias encharcadas de mar
dentro de mim, descuidado jardim
Ao relento, ao suave vento
De minha pele na sua, o amar
Roce a minha rama à sua asa
Dê arrepios, dance em mim
Mate todas as desgraças que tens

Venha à graça, a revolução
A manifestação do encontro sem palavra
Aquela canção de luz sem fim, evolução
Quando voas farfalhando suas asas
No céu de todas as minhas bocas

Assim seria o direito, a plenitude
De meu corpo, essa cidade
Cansada, caiada de fantasmas
Explodindo jardins azuis em régia flor
à quase face fria, uma parede d’água
Da lágrima amiúde

Rompa os meus e seus muros
Traga delírios, rebrotem lírios assim
Só nossos círios da paz
Da verdade humana, flamantes urros
Da verdade sem condenação
De existir sem nada atrás
Sem a lambida fúria serpenteando
A maldade torpe
E nossos corpos em chamas
Transmutando desejo

O Amor maior, nossa cama
sem nada atrás
Só nossos círios da paz
E a dança...
e tudo que é mais


Cíntia Thomé

2009



...Há o jogo das flores aqui
Dentro da seiva líquida,
das veias encharcadas de mar
dentro de mim...

Flow(er) Me
Flow(er) Me
Flow(er) Me

Esta Maresia Boreal

Posted by NãoSouEuéaOutra | Posted in , , , | Posted on 09:31



O que dizer, se o Silêncio tem manobras de deixar qualquer um com a boca colada ao Ventre da Vida, depois de sair do Casulo dos Demónios.

NãoSouEuéaOutra in '' Curtas e Rápidas ''

p.s. na imagem, pequeno verso do livro '' Corpo do Poema '' de Carmen Cupido

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...